Glossario Marketing Digital

Glossário do marketing digital: tudo o que você precisa (e deve!) saber (Parte 1)

Como em qualquer especialidade profissional, o marketing digital também tem, digamos assim, um universo próprio. E dentro deste mundo de particularidades, uma delas chama a atenção: as palavras que formam um dicionário do marketing online. Quase todas em inglês, o que acaba dificultando um pouquinho, né?!

Para quem quer entender um pouco mais (até para poder investir nesta área), desenvolvemos um glossário básico – em duas partes – com o que você precisa saber sobre marketing digital. Lá vai a primeira:

Marketing digital – como dizem os ingleses, first things first (as coisas mais importantes em primeiro lugar). Antes de tudo é importante deixar claro: marketing digital não é algo à parte do marketing dito tradicional. A diferença principal é que ele está focado em ações online e, para isso, conta com uma infinidade de ferramentas que funcionam digitalmente. Assim como no marketing tradicional, o planejamento é a parte mais importante do marketing digital.

Budget – budget é orçamento em inglês. Então, ele nada mais é do que o orçamento disponível para as ações.

Social media – é parte fundamental para o posicionamento de qualquer marca no universo digital. É um serviço aplicado a redes sociais, seja ela LinkedIn, Facebook, Instagram ou qualquer outra. Importante: é super relevante que o trabalho de social media esteja integrada a uma estratégia inteligente e bem definida. Social media também é o nome dado ao profissional que atua em redes sociais.

Marketing de conteúdo – para nós da Stratlab, é a base de todo bom trabalho de marketing digital. Por quê? Acreditamos que oferecendo um conteúdo de qualidade e relevante ao seu público-alvo é possível gerar valor, engajar e fazer crescer sua rede de clientes. Ao invés de simplesmente vender o seu produto, você cria uma relação com seu público. E ele é pra todo mundo 

Blog – É um formato de site voltado para conteúdo multimídia. Ele pode estar dentro de um portal ou mesmo de outro site. Normalmente tem uma linguagem menos formal do que textos institucionais, por exemplo. Nele, uma ou mais pessoas podem escrever postagens e artigos sobre os mais variados assuntos, seguindo normalmente um tema central que norteia essas pautas.

SEO – A sigla significa Search Engine Optimization (traduzido como otimização de sites em português). É um conjunto de técnicas em produção de conteúdo e técnicas de webdesign.  Um bom trabalho de SEO no site e/ou blog melhora o posicionamento de um site nos buscadores do Google, por isso, um depende do outro. Para ficar ainda mais fácil de entender, os buscadores do Google são como crianças em fase de crescimento, ou seja, elas não sabem de nada até o momento que aprendem. O SEO é a forma que o profissional de Marketing Digital ensina essa criança a ler e principalmente interpretar texto. Em outras palavras, um bom SEO é capaz de fazer o Google a ler conteúdos e websites como queremos.

Palavra-chave – São os termos de destaque essenciais para o conteúdo. Você pode encontra-los fazendo aquela famosa pergunta: se pudesse definir algo em três palavras, quais seriam? Normalmente, para empresas, elas estão diretamente ligadas ao trabalho desenvolvido em si, missão, valores e visão. Para acompanhar o andamento e efetividade dessas palavras, monitoramento e ferramentas de análise são essenciais! E com isso, a empresa pode adotar ações ainda mais estratégicas como usar termos colaterais, que tragam resultados efetivos, ao invés de palavras mais populares, competitivas e custosas (falaremos melhor sobre custos no glossário parte 2). A velha lei da oferta e procura.

Lead – São os seguidores do Instagram, curtidores no Facebook, inscritos no Youtube, assinantes do email marketing, etc. que se tornam consumidores potenciais. E como são POTENCIAIS, falamos em marketing de resultado, aquele que efetivamente vai trazer benefícios e mudanças para a empresa. E é no que a gente acredita! Mas infelizmente é muito comum no mercado encontrar ações que visam apenas atingir grandes números de usuários, mas convertem poucos leads. É o que chamamos de marketing de vaidade.

Inbound marketing – é uma estratégia totalmente voltada para a geração de leads. Ele é, basicamente, um conjunto de ações que tem como meta atrair clientes em potencial. Com uma estratégia bem feita, ele fará com que sua empresa atraia estes clientes. O inbound marketing tem quatro etapas: atração, conversão, fechamento e encantamento.

Email marketing – São campanhas de marketing digital enviadas ao banco de dados da empresa através do email. Para receber essas informações, os usuários podem ter escolhido fazer parte do mailing ou terem sido encontrados (com outras ferramentas estratégicas) por ter o perfil consumidor da marca. O email marketing é a principal ferramenta do Inbound marketing.

Advogado de marca – é um dos sonhos de qualquer bom trabalho em marketing digital: que os usuários citem as palavras do conteúdo da empresa em nome deles. Ou seja, que se tornem advogados da sua marca. Isso é possível dentro e mesmo fora do universo digital, porque com o LinkedIn, principalmente, conseguimos extrapolar essa barreira. E sabe o que é melhor? A palavra e comentários do advogado de marca tendem a ser muito mais confiáveis do que os da própria empresa.

Por hoje é isso, pessoal. Mas ainda temos muito o que falar e, na semana que vem, traremos a segunda parte desse glossário básico.

Dúvidas, contrapontos, opiniões? Fique à vontade para comentar e nos contatar!

Este post tem 2 comentários

  1. Pingback: Glossário do marketing digital: tudo o que você precisa (e deve!) saber (Parte 2) – Stratlab

  2. Pingback: Glossário do marketing digital: tudo o que você precisa (e deve!) saber – Parte 2 – Stratlab

Comentários desativados