Marketing Estratégico

Se o foco é vender hoje, não há gestão integrada que resolva

Por Fernanda Nascimento Wanderley

Uma campanha de e-mail marketing que possui a mesma linguagem das redes sociais, que por sua vez está alinhada com identidade visual do blog, que é o complemento perfeito para as informações institucionais no site. Não vou mentir: esta integração da comunicação é o sonho de praticamente todo mundo que trabalha com estratégias de marketing.

Mas, como já falei algumas vezes e tenho até medo de me tornar repetitiva, não acredito em receita pronta ou fórmula mágica.

Mesmo com tudo perfeitamente azeitado, não é certeza de que vá funcionar. Até porque estamos vivendo em um mundo extretamente imediatista e isso torna nossa tarefa um pouco menos simples. Afinal, os resultados precisam ser para ontem, para você vender hoje.

Porém, para vender hoje, o trabalho de marketing estratégico precisaria ter começado há algum tempo, né?

É como se, por exemplo, você quisesse fazer aquele curso no exterior que sempre sonhou tendo trabalhado apenas um mês, sem guardar dinheiro e sem se preparar. O que estas duas situações têm em comum? Em ambos os casos, o planejamento deve ser a chave para o sucesso.

Quem é o vilão?

É curioso, mas parece que eu sempre acabo voltando à estratégia de negócios. Assumo que sou apaixonada pelo tema, mas acho que mesmo após tantos anos nesta área ainda vejo que um planejamento bem feito, se seguido pelos profissionais corretos, é o passo fundamental para as coisas darem certo.

A meu ver, o imediatismo acaba sendo o grande vilão, e muitas vezes as empresas acabam se valendo de uma ação que parece simples e fácil: uma campanha isolada para atingir o público rapidamente e, como num passe de mágica, vender.

Pode funcionar? Pode.

Mas desta maneira existe um esforço geral de todos os envolvidos para uma ação pontual, que gera um barulho e… acaba.

Falta um trabalho consistente, um planejamento de médio-longo prazo, que engaja, encanta e fideliza o cliente. E isso, é claro, leva tempo e um trabalho de marketing estratégico totalmente alinhado com os valores e objetivos da empresa. Justamente esse tempo que as empresas parecem não entender.

Fuja das armadilhas que parecem fáceis

Isso significa que você nunca pode fazer uma campanha isolada para, por exemplo, vender um curso prestes a acontecer na próxima semana? Pode, sim, mas o ideal para essa campanha é não ser totalmente isolada. Mesmo sendo uma ação fora da curva da comunicação integrada inicialmente planejada, é fundamental falar a mesma língua e, mesmo que não seja irmã gêmea, pelo menos seja uma prima bem parecida.

Nesses casos, inclusive, uma campanha isolada (mas não tão isolada) pode até trazer novos públicos a serem trabalhados dentro do planejamento. O que uma empresa não deveria nunca fazer é cair na armadilha do curto prazo, de ações que não se identificam com a filosofia da empresa e que não fazem parte da identidade dela.

Pensar em longo prazo é fundamental. Afinal, sem continuidade fica muito difícil se relacionar consistentemente com seu público, seja ele quem for.

Ah, seria tão bom se tudo na vida tivesse receita pronta e à prova de erros, não acha?

Infelizmente quase nada na vida é assim. E para quem trabalha com marketing estratégico menos ainda: não trabalhamos com ciências exatas, atuamos em uma ciência humana e lidamos, sempre, com pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *