Não raro preciso explicar a clientes que querem ser bem sucedidos nas ferramentas de marketing digital o que é sucesso no mundo online. Porque comumente esses mesmos clientes vêm para as reuniões empolgados e decididos a investir grandes verbas em anúncios nas redes sociais. E se gabam das “curtidas” conseguidas, caso se utilize esse alto valor nas campanhas. De fato é muito reconfortante ver nos relatórios dois ou três dígitos de crescimento de uma semana para outra, mas até onde isso é real?

Dois passos atrás, precisamos falar sobre o propósito dessas mesmas redes sociais. A maioria dos nossos clientes que transita por lá não o faz para comprar. Está conectado às redes para se relacionar com pessoas e marcas, para ver o que se passa na sua “linha do tempo”. Consome e gera conteúdo o tempo todo. Vale para Facebook, para Instagram, para LinkedIn, vale para as outras redes sociais.

Esse relacionamento só tem êxito para uma empresa quando o usuário das redes interage com seus posts, seja essa interação feita através de curtidas, comentários ou compartilhamentos: o famoso “engajamento”. Ter sucesso nas redes sociais é ter clientes engajados.

Os clientes não se relacionam mais com conteúdo que não seja de seu interesse, nem acreditam mais em qualquer jargão, refrão ou slogan criados pelas empresas e suas agências. Desta forma, se engajam quando a empresa consegue acertar em cheio ao produzir textos ou imagens que traduzam as crenças desse consumidor. Então eles se conectam, usuário e marca, numa relação que precisa de sustentação. E assim segue a estratégia de conteúdo.

Curtidas impulsionadas trazem muitos novos fãs para a página das marcas. Fãs que foram encontrados pelos mecanismos das redes sociais respondendo à sugestão de perfil que nós mesmos definimos quando criamos o anúncio, o que é fantástico do ponto de vista da publicidade. Não viu-se antes desses engenhos tecnológicos qualquer possibilidade mais assertiva de se trabalhar segmentação. A dúvida é quantas dessas novas curtidas realmente se convertem em seguidores de qualidade. Porque são os de qualidade que, na primeira oportunidade, poderão se tornar clientes ou influenciadores na compra de produtos dessa marca.

Anúncios são importantes e têm seu papel. Da mesma forma que eles são publicados nas páginas de usuários com perfis selecionados, esses mesmos usuários passaram a enxergar prioritariamente publicações que estão de acordo com seus interesses. Significa principalmente que as redes sociais se preocupam em oferecer um conteúdo de maior relevância para seus usuários. Entretanto, a chance desse usuário se deparar com alguma publicação fora das paredes do seu “castelo social” ficam menores. Para ultrapassar essas paredes, usamos o anúncio.

Serve também para quem é fã, mas há algum tempo não se relaciona com sua marca ou então interage mais com outras marcas que, assim, se tornam na sua linha do tempo mais relevantes. Lá vai o anúncio reconectar então esse fã da marca, dando uma nova chance para o estreitamento dessa relação.

E não precisa de muito investimento. Às vezes com R$20,00 se faz um trabalho excelente impulsionando um post. Mas o impulsionamento por si só não garante nada além da exposição da mensagem.

O charme da coisa é se ter um material de excelência, seja texto em blog, infográfico, foto, vídeo ou e-book. Porque o anúncio faz o cliente ficar frente a frente com o conteúdo, mas quem reata a relação é o valor que ele carrega.

Publicado originalmente em www.redemulherempreendedora.com.br