Shutterstock 415021228

O que é growth hacker e quem é ele dentro da sua empresa?

Por Cristovão Wanderley

Muito tem se se falado sobre growth hacking: o que é, o que faz e quais os milagres que ele pode promover em uma empresa. Como é algo relativamente novo, muitas pessoas consideram o growth hacker como um novo profissional que está surgindo agora e é considerado o futuro. Mas o caminho não é exatamente este.

Esse profissional não é nem melhor, nem pior que o profissional de marketing, o profissional de vendas ou ainda o profissional de gerenciamento de tecnologia. Para mim, ele é a evolução natural de todos eles. Por que digo isso? Historicamente todos esses profissionais sempre estiveram separados: cada um cuidando do seu pedaço, muitas vezes sem se falar e até mesmo sem ajudar um ao outro (mesmo, muitas vezes, fazendo parte da mesma equipe).

Fazendo uma tradução livre do inglês, growth é crescimento e hacking algo como encontrar novos caminhos, novas estratégias. Vamos utilizar isto como verdade: growth hacking é o crescimento através de novas estratégias.

O que ele pode fazer por você

Hoje em dia, as empresas cada vez mais buscam profissionais com um espectro mais amplo. Seja um profissional do marketing que tenha conhecimento em tecnologia, seja um profissional de TI que tenha conhecimento sobre, digamos, vendas.

Partindo daí, vemos com frequência empresas que querem se reinventar para inovar e crescer e, normalmente, esse processo é feito com começo, meio e fim. Aqui começa o que considero um problema: a inovação é e deve ser sempre um processo contínuo. E quem dá continuidade a estes processos de inovação e crescimento é o growth hacker. É ele quem pode fazer isso de forma organizada, altamente estruturada e, acima de tudo, com foco em crescimento com resultados mensuráveis. O growth hacking nunca é baseado em “achismos”. Ele é uma conjunção da análise dos dados (monitoramento) associada à inteligência estratégica.

Assim, com resultados mensuráveis e experimentos documentáveis que podem ser replicados, ajustados e melhorados na linha do tempo – ele pode direcionar os novos caminhos a serem tomados.

Quem é esse profissional

Se você para pensar, qual profissional tem como destino natural ser growth hacker? Um excelente gestor de nível da alta diretoria ou ainda de C Level? Uma pessoa analítica que sabe estudar o passado, o presente e o futuro, sempre com a preocupação em resultados, maximizando recursos da empresa e que sabendo ler os resultados para saber tomar decisões com consciência?

Já ouvi muita gente perguntando se para ser um growth hacker é preciso ser um programador, um PMO ou um técnico que sabe “escovar bits e bites”. Na minha opinião, ele não precisa ser um expert na área de tecnologia, mas é claro que é importantíssimo ter a tecnologia aliada ao conhecimento técnico e conceitual de marketing (fiz questão destes parênteses para explicar que não concordo que exista marketing, marketing offline e marketing digital separadamente. Marketing é marketing, e saber usar as melhores técnicas nos momentos certos é que te fazem ser um excelente profissional e se destacar neste mundo homogêneo – mas isso é um papo para outro texto).

Voltando ao growth hacker, esta pessoa preferencialmente precisa entender muito bem de processos, metodologia de experimentos, tecnologia e, acima de tudo, psicologia do consumidor. Afinal, saber como as pessoas passam e interagem ao longo da jornada de compra/ jornada de experiência é essencial. Talvez você até tenha este profissional dentro da sua empresa, mas ainda não o identificou.

Um bom growth hacker não pode ser acomodado e ficar “somente” seguindo os processos. O papel dele é buscar, entender e implementar novos processos para o sucesso da empresa. A linha tênue, nesse caso, fica entre a implantação de novos processos e a burocratização (não burocratize, eu lhe peço).

Não se deve inserir o growth hacker ao longo de um processo, ele deve fazer parte da equipe desde o momento do planejamento. Mais do que isso: ele deve estar lado a lado (ou quem sabe ser um) do gerente/diretor de marketing e de vendas.

Existem inúmeras ferramentas que podem ajudar muito o growth hacker. Não dá para fazer uma receita de bolo, o que usar, como e quando. Aliás, o princípio do growth hacker é exatamente: saber analisar e se adaptar.

Depois de ler tudo isso, você acha que um growth hacker é a única pessoa responsável por definir as estratégias que levarão a sua empresa ao super crescimento esperado? Se sim, não me fiz entender: ele é extremamente importante, mas não faz nada sozinho. Para alcançar este objetivo, só com muita integração de forma ampla, de toda a empresa. Ninguém seria capaz de levar toda essa batalha sem o apoio do time (aliás, se você conhece alguém assim, me apresente).

Esta nova função que vem se desenvolvendo é mais uma prova de que o trabalho colaborativo e cruzado entre departamentos é inevitável – e as pessoas que sabem trabalhar com planejamento, processos e análise de resultados são as pessoas que aqui se destacam e de sucesso garantido.